Permita-se viver a dor de uma decepção

Quem nunca se decepcionou? Uma amizade que se quebrou, um emprego que parecia ser seu e de repente não é mais, um namorado(a) que te deixou “do nada”… Enfim, poderia listar mil e uma situações em que nos sentimos desapontados quando algo inesperado acontece.

O que andei pensando é que muitas vezes não nos permitimos ficar tristes, chorar… É como se estivéssemos sempre que estar bem, ou pelo menos, parecer que estamos. Há uma importância enorme em sermos honestos com os outros, mas também conosco mesmo. Não há nada de errado em uma pessoa que chora, que não sente vontade de comer, que não quer sair, após uma desilusão. É um momento que precisa ser vivido.

Ter alguém em quem vc confie pra conversar e desabafar é fundamental para ir superando a dor. Pode ser sua mãe, pai, irmãos, um amigo, psicóloga… A fala tem um poder enorme de cura. É como se a cada desabafo vc acelerasse o processo de cura da ferida. Guardar pra si algo que te machucou pode ser muito perigoso.

Portanto, não ache que a sua dor não é importante. Ela é! No sentido de que através dela vc terá oportunidade de se conhecer, amadurecer, crescer. Permita-se reconhecê-la.  Permita-se vivê-la sem julgamento do tipo: “eu não posso chorar por isso”, “tem muita gente sofrendo por coisa muito pior”, “isso é pequeno frente aos problemas da humanidade”. Ei! Este é o SEU “problema”, a SUA dor… Não negue-a. Lembre-se somente que ela vai passar… Por mais difícil que possa parecer, ela vai passar. E vc terá a chance de crescer com ela.

Vivendo e aprendendo, sempre!

Beijos,

Mi