Desencuca!

Não é de hoje que apontamos em nós mesmos e até dizemos para os outros algo que não nos agrada em nosso próprio corpo. O culotezinho aqui, aquela gordurinha acolá, o nariz mais avantajado, os braços mais roliços… Temos a estranha mania de sempre olhar para aquilo que nos desagrada e incomoda. E mais, em reclamar disso para os outros.

Que fique claro, sou a favor de que devemos fazer o possível para sentirmos bem. Eu mesma sou adepta de musculação, pilates e dança e sei da enorme maravilha que isso me faz. Fico realmente feliz ao colocar o meu corpo em movimento. É como se diariamente ele precisasse ser lembrado de que está vivo, sabe? O dia que não me exercito de alguma forma (que seja uma caminhada) me sinto menos disposta pra tudo. Exercitar pra mim é fundamental para uma vida mais leve e alegre.

Quero apenas que vc reflita diante de uma pergunta: “para que?”. Para que vc vai à academia? Para que escolhe acordar todos os dias mais cedo e se movimentar? Se a sua resposta for “para ter o corpo da Mayra Cardi, da Gabriela Pugliese, ou da fulana”, eu te pergunto, o que te faz desejar isso? O que te faz querer ser igual à elas?

Acredito que antes de tudo precisamos entender que somos diferentes e possuímos genéticas distintas. Nossos corpos podem ser “melhorados”, mas nunca deixarão de ser os nossos corpos.  Entenda “melhorados” no sentido de ganhar maior vitalidade, mais energia e disposição. Porque é isso que entendo ser o importante, o exterior (músculos) será apenas reflexo. Busque saúde, sempre! E isso requer atividade física, alimentação  saudável e, claro, pensamentos e atitudes positivas. Muitas vezes nos esquecemos disso, não é mesmo?

Em resumo, jogue fora a ideia do corpo ideal, “perfeito”. Essa busca é frustrante e irreal. É melhor cuidarmos do que temos. Ele é único e só por isso já mereceria nosso apreço.

Um beijo,

Mi