Meia maratona no Rio de Janeiro

Minha segunda meia maratona aconteceu numa cidade muito especial pra mim, o Rio de Janeiro. Especial pois desde pequena eu e minha família passamos as férias por lá e porque já morei durante a faculdade de jornalismo. Ou seja, tenho uma forte ligação com o RJ. E mesmo se eu não tivesse, correr aqui é lindo demais! Acredito que seria especial de qualquer forma.

Cheguei no Rio no sábado, dia 29 de julho, e a primeira coisa que fizemos (eu, meu namorado e irmão) foi buscar os kits para a corrida. Afinal, pousamos no Santos Dumont e a entrega dos kits da Asics Golden Run era no centro, relativamente próximo ao aeroporto.

Cara de sono porque acordamos 4h30 pro voo.
Camiseta da Asics Golden Run RJ 2017

Não tirei foto do Kit completo mas vem numa sacola da Golden Run com gel, dorflex para os joelhos, além é claro, da camiseta e viseira. Dessa vez não personalizei a camiseta colocando meu nome. Isso vc decide quando compra o kit, no site. E sim, tem um valor adicional. 😉

Olha os 21K aí meu povo! Foto do meu stories @mirelleserra

Sobre o dia 30 de julho, dia de colocar as pernocas para jogo

Acordei às 5h30. A largada da prova foi no posto 12 do Leblon. E como me hospedei no Hotel Marina Palace, fiquei na boca do gol… Então me arrumei, comi minha banana com aveia e mel (refeição clássica quando corro), tomei um cafezinho, meu pré-treino e caminhei apenas alguns metros para a largada.

Ta aí uma dica: não invente de comer nada que vc já não esteja acostumado. Deixa isso pra qualquer outro dia. Não queremos nenhum risco de passar mal, ficar pesado, etc né?

Irmão e parceiro de corrida

Tiramos essa foto minutos antes do início da prova. Eu não saberia descrever o que senti nesse momento… Foi uma mistura de sentimentos! Uma euforia, ansiedade, alegria, tudo junto e misturado! (juro que estou me esforçando para tentar fazer com que vc entenda haha). Imaginei que por ser a segunda meia maratona não sentiria novamente isso, mas não tem como… Pelo menos até agora a sensação é como se fosse a primeira vez. 🙂

Vamos falar um pouco da prova em si né? Eu e meu irmão Matheus, largamos com um pace* de 5:45 e ao longo da prova ele foi variando entre 5:40, 5:30 e 5:10… É que em alguns momentos (leia-se largada e 2 túneis) o espaço era mais restrito. Foi inevitável dar uma diminuída no ritmo também quando passávamos por algum ponto de hidratação (além de água há isotônico na Golden Run).

*Ritmo médio de corrida, em quanto tempo vc percorre 1 km.

Tínhamos em mente fazer a prova num pace de 5:30 e conseguimos no geral.

A melhor parte da corrida pra mim foi no momento que passamos por este cartão postal do Rio:

Pão de Açucar

Foi lá pelo km 13,5… Não aguentei e saquei o celular para uma foto, sem parar é claro de correr. Pra mim foi a hora mais especial da prova, eu estava bem, sem nenhuma dor, animada e vibrando com o visual. Meu irmão disse que ele se arrepiou nessa hora porque estava escutando um solo de guitarra e “pá” essa vista surgiu hahaha… Eu não corro com música (nem em treinos) mas ele sim. É que gosto de escutar a galera gritando as vezes, perceber melhor minha respiração… Acho que fico mais presente dessa forma, eu curto!

Convenhamos, esse percurso do Rio é lindo demais, demais, demais… Correr numa orla como a do Leblon, Ipanema, Copacabana, Baía de Guanabara… passar pela parte histórica no centro do Rio (já quase no fim da prova) é simplesmente incrível! Enche os olhos e a alma… Dá aquele fôlego, sabe? Quando algo começa a incomodar vc tem a chance de se maravilhar com algo bonito. Isso sem dúvida faz toda a diferença. Ah, sem contar que é uma prova plana – os joelhos agradecem! -.

km 17 – Eu comecei a sentir a minha unha do dedão do pé esquerdo (a mesma que senti na meia de SP e que ficou super roxa após a prova). Pensa numa unha que latejava… Eu via estrelas de tanta dor! Mostrei algumas vezes já como minhas unhas dos pés me dão trabalho no meu stories do Instagram. Aproveita e me segue lá 😉 E não foi diferente nessa meia maratona do Rio.

Eu só pensava assim: “tá acabando, vai dar tudo certo, to bem…” fiz disso um mantra, sério. E como eu disse, durante a prova toda eu e meu irmão fomos juntos, só que aí ele acabou indo mais rápido e eu diminuí um pouco o ritmo. A última coisa que ele me disse antes de se distanciar foi: “Vc treinou durante 5 meses pra isso, tá acabando!”. Um frase simples e poderosa! Que te faz tirar forças nem sei de onde.

Dificuldades para mim nesta prova: minha unha do pé e o sol que começou a pegar mais ou menos na mesma hora da unha. De resto tudo ok!

Pra finalizar… Cheguei com 1h55 e quase chorei – não sabia se de emoção, de dor na unha, ou dos dois – . Foi uma prova emocionante, mais do que a primeira vez que fiz uma meia maratona (basta clicar pra ir pro post sobre ela). Curioso isso, não?

E será que vc consegue imaginar o que eu mais quero agora? É… Isso mesmo! Definir a minha próxima prova!  Ainda não tenho ideia de quando e onde será mas já estou doida pra me inscrever e já já voltar a treinar. Sugestões? 😉

Turma que correu
Parabéns, meu irmão!
Com a minha medalha! Eeeee!!!

Um beijo e qualquer coisa que eu possa te ajudar me escreve, tá?

Boa corrida para nós!

Com carinho,

Mi